Histórico

Instituto de Física da UFBA – um breve Histórico

     O Instituto de Física da UFBA (IFUFBA) foi criado em 1968, através do Decreto 62.241, de 08 de fevereiro, que reestruturou a Universidade Federal da Bahia.  Sua origem deu-se a partir da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da então Universidade da Bahia (UBA), criada em 1946 pelo reitor Edgard Rêgo Santos a partir da reunião das faculdades de Medicina, de Filosofica, Ciências e Letras, e das Escolas de Odontologia e Farmácia, Direito, Politécnica e de Ciências Econômicas. Em 1965 essa Universidade passou a ser denominada Universidade Federal da Bahia (UFBA).
     O Curso de Física teve a autorização formal através do Decreto 10.664, de 20 de outubro de 1942, para ser realizado na Faculdade de Filosofia da Bahia (FFB), mas seu reconhecimento só ocorreu quatro anos depois, através do Decreto 9.155, publicado no Diário Oficial da União do dia 08 de abril de 1946, que criou a antiga Universidade da Bahia (UBA). O primeiro vestibular para Física foi realizado somente em 1952 sendo o primeiro candidato, e também primeiro graduado em Licenciatura e Bacharelado em Física, o engenheiro agrônomo Álvaro da Silva Ramos, que no período 1980/1984 dirigiu o IFUFBA.
    Durante a década de 1950 o curso de Física funcionou mas não havia uma Unidade de Ensino exclusiva. Foi por iniciativa das professoras de Matemática, Martha Maria de Souza Dantas e Arlete Cerqueira Lima, e do professor de Física, Ramiro de Porto Alegre Muniz, que o Reitor Edgard Santos, em1960, assinou a criação do Instituto de Matemática e Física (IMF). A primeira direção desse Instituto coube ao matemático Rubens Gouveia Lintz, que foi substituído em 1963, pelo também matemático Omar Catunda. Já a primeira chefia do Departamento de Física do IMF ficou a cargo do físico Ramiro de Porto Alegre Muniz; esse, ao se transferir para a UnB, foi substituído na chefia pelo físico Waldez Alves da Cunha. A partir de 1965, o Professor José Walter Bautista Vidal, físico e engenheiro civil, assumiu a chefia do departamento de Física do IMF e também a direção do Centro de Ciências da Bahia (CECIBA) cujas atividades, junto a colégios secundários e ao Colégio de Aplicação da UFBA, envolveram muitos professores de IMF e muito contribuiram para a formação dos professores de Física no Estado. O IMF funcionou em vários endereços: Nazaré (na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras); Canela, na rua Marechal Floriano e depois na rua João das Botas; Federação, na Escola Politécnica e no prédio onde atualmente funciona o DCE. 
     O IFUFBA surgiu então, no processo da Reforma Universitária de 1968, quando o IMF teve seus dois departamentos transformados em duas novas unidades da UFBA, os atuais Instituto de Física (IFUFBA) e Instituto de Matemática (IMUFBA).  Após a criação do IFUFBA, as aulas de Física foram oferecidas de 1969 a 1971, na Escola Politécnica, e somente em julho de 1971 foi inaugurado o prédio do Instituto em Ondina, com o primeiro Coordenador o Professor Antonio Expedito Gomes de Azevedo.
O Instituto de Física era composto originalmente por dois departamentos; em 1975, com a redepartamentalização, foram criados os atuais departamentos  - Física da Terra e do Meio Ambiente, Física Geral e Física do Estado Sólido - que são responsáveis pelas disciplinas de graduação e pós-graduação para os cursos de Física e outros cursos das áreas de ciências exatas e ciências biológicas. 
     Em nível de Graduação, o IFUFBA oferta os Cursos de Física Diurnos, de Bacharelado e Licenciatura, e Noturno de Licenciatura.  A Licenciatura Noturna, aprovada em 1998  atendendo demandas da sociedade e da comunidade do IFUFBA, foi implantada em 1999  e durante dez anos foi o único curso noturno da UFBa. 
Desde a fundação do IFUFBA, em 1968, foram graduados 817 alunos nos Cursos de Física, Licenciatura e Bacharelado. Considerando a oferta do Curso a partir de 1952 foram graduados 840 físicos pela UFBA, que foram absorvidos em sua maioria não só como docentes nos níveis Médio e Fundamental das redes pública e privada do Estado, mas também em Institutos Federais e Universidades na Bahia e em outros estados. 
    Em relação à Pós-graduação, o Instituto de Física atualmente participa de três programas: Pós-Graduação em Física (PPGF), Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e Historia da Ciência (PPGEFHC), e Pós-Graduação em Geofísica (PPGGF).
     O Programa de Pós-Graduação em Geofísica, sediado no Instituto de Geociências, teve sua origem em 1968 quando houve expansão do grupo de pesquisa em Geofísica Nuclear através de recursos obtidos de diferentes agências de fomento que permitiram a construção do Laboratório de Fracas Radioatividades, atualmente Laboratório de Física Nuclear Aplicada (LFNA). O PPGGF teve seu Mestrado criado em 1969 e o Doutorado, primeiro da UFBA, em 1972.
     A Pós-graduação em Física teve o Mestrado – opção Física do Estado Sólido - criado em 1975 e teve desde então o desenvolvimento de outras Áreas de Concentração.  Em 1976, com apoio da FINEP, foi implantado o Laboratório de Cristalografia Física, e a criação do grupo de Difração em Raios-X. O Programa de Pós-Graduação em Física teve, em 2007, a implantação do Curso de Doutorado e atualmente funciona com quatro áreas de Concentração: Física Atômica e Molecular, Física de Sólidos e Materiais, Física Estatística e Teoria Quântica de Campos, Gravitação e Cosmologia. Desde a criação, o PPGF formou 194 Mestres e 46 Doutores.  
    O Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História da Ciência, que tem a participação da UEFS e de diversas Unidades da UFBA, teve o Mestrado criado em 2000 e o Doutorado em 2006. Até o presente, o PPGEFHC teve 216 dissertações e 113 teses defendidas.
   Em extensão o Instituto de Física participa do Projeto Olimpíada Brasileira de Física (OBF), desde a criação em 1999, como responsável pela Coordenação no Estado – esse projeto Nacional  da Sociedade Brasileira de Física (SBF) é voltado para alunos do ensino Médio e dos dois últimos anos do Ensino Fundamental, de Escolas Públicas e Particulares. A partir de 2010, o IFUFBA é também responsável pela Coordenação Estadual da Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP), voltado para alunos do Ensino Médio e último ano do Ensino Fundamental.  Também em extensão, o IFUFBa desenvolve o projeto Roda de Ciência, visando a a realização de experimentos, jogos, demonstrações e brincadeiras envolvendo aspectos diversos do conhecimento científico de maneira lúdica, para atender principalmente o público de alunos de escolas públicas.
    O Instituto de Física, desde a sua criação, desempenhou importante papel nos movimentos sociais e políticos da Bahia e do Brasil, com grande envolvimento de seu corpo de discentes, docentes e servidores técnicos administrativos. Durante a Ditadura Militar, a comunidade do IFUFBA participou ativamente das lutas em defesa das liberdades tendo vários de seus membros sofrido prisão, tortura e tendo que responder inquérito. Na década de 1970, o IFUFBA abrigou por um longo tempo a  Associação dos Professores Universitários da Bahia (APUB), que teve o Professor Humberto Tanure, desse Instituto, como primeiro presidente. Também nesse período o IFUFBA participou da criação e sediou inicialmente a Associação dos Servidores Técnicos Administrativos da UFBA (ASSUFBA). Vale ainda ressaltar a grande participação dos estudantes de Física nas lutas pela redemocratização do País, a exemplo do Congresso de Reconstrução da UNE, ocorrido em 1979 em Salvador.
 
- Técnicos administrativos (1968-2018).